quarta-feira, 28 de setembro de 2016



O Presidente da ACADEMIA DE LETRAS JURÍDICAS DO RIO GRANDE DO NORTE - ALEJURN, acadêmico Adalberto Targino, convida V.Ex.a e família para participarem da solenidade de posse da Nova Diretoria, presidida pelo acadêmico Dr. Lúcio Teixeira e os seguintes membros: Marcelo Alves (Vice-Presidente), Arthúnio Maux (Secretário-Geral), Paulo Lopo Saraiva (Secretário-Geral Adjunto), Francisco Barros (Tesoureiro) e Adalberto Targino, Zélia Madruga e Luiz Antônio Marinho (Conselho Fiscal).

Data: 30 de setembro de 2016 (sexta-feira)
Horário: 10 horas
Local: Auditório da Procuradoria Geral do Estado
Av. Afonso Pena, 1155 – Tirol (Natal/RN)





Confirmar presença: (84) 3232-2890

Email: alejurn2007@gmail.com




Traje dos Acadêmicos: veste talar (pelerine e colar);

Quaisquer dúvidas serão dirimidas pelos telefones 3232-2890  e 3232-2898 ou e-mail :alejurn2007@gmail.com .
Associados do INSTITUTO POTIGUAR DE DIREITO TRIBUTÁRIO na reunião de 27/9/2016, para debater o tema Desconsideração da responsabilidade tributária, com exposição do Professor Luís Felipe e amplo debate entre os participantes.

terça-feira, 27 de setembro de 2016



O menino de Aleppo
“Dizei-me vós, Senhor Deus
Se é delírio... se é verdade
Tanto horror perante os céus”
Castro Alves
Não vi teus olhos, menino.
(Estavam cobertos de cinzas)
Não vi teu sorriso, menino.
(Os escombros apagaram)
Não ouvi te choro, menino.
(A explosão engoliu)
Não vi tua vida, menino.
(Quem te roubou?)
Quem bombardeou tua cidade
Te conhecia?
Por que então mataram teus vizinhos?
Destruíram teus brinquedos?
Não deixaram tua mãe fazer tua comida?
Sujaram a tua roupa, a tua cara, as tuas mãos?
Arrancaram tua língua?
O que fizeste, menino,
Para que tanta raiva caísse sobre ti?
Desobedeceste teus pais?
Não foste a escola, não rezaste tuas orações?
Bateste em tua irmãzinha?
Por que tanto ódio traduzido em bombas
Sobre tua cabeça?
És malcriado? Respondão? Mal aluno?
Quais são os teus pecados, menino de Aleppo,
Que tanto irritam os donos do mundo?
Por que não choras, não gritas,
Não chamas por alguém?
Onde estão tuas lágrimas?
Por que não foste para Pasárgada?
Por que não foges para o Egito
Montado num jumento,
Com teu pai e tua mãe?
Ah, as bombas os levaram,
Como levou tua voz, teus sonhos,
Tua dor.
Quem vai limpar o sangue no teu rosto,
Menino de Aleppo?
Os discursos na ONU?
As orações nos templos?
Passeatas raivosas na Avenida Paulista?
Que cor tinha a bomba
Que caiu sobre tua casa?
Vermelha ou azul?
Veio da direita ou da esquerda?
Quando vi tua imagem no noticiário,
Silencioso e quieto,
Vi lágrima de sangue
Escorrendo pela tela da tv.
Estava alucinado?
Vendo coisas?
Ou nada disso aconteceu?

Racine Santos
Natal, 20 de setembro de 2016

domingo, 25 de setembro de 2016


Foto do perfil de Lívio Oliveira
Visitarei a casa materna
(Lívio Oliveira)
Irmãos, mesmo que o caminho seja pó
e eu seja só sobre a terra entre espinhos
guardarei a lembrança plena de nossa casa
o telhado e alicerces e os quartos assimétricos
e terei entre as mãos a água do açude que escorre
no bolso uma pedrinha de mármore em cubo polido
 
que deixarei sobre a porteira vigiada pelo concriz.
Irmãos, ainda que não ouçam mais meu grito
e que a distância entre nós seja de léguas tortas
 
guardarei, sim, a lembrança plena de nossa casa
plantarei os meus pés no barro vermelho e areias
e mirarei longe o milharal por que nossa avó passou
as brincadeiras e um velocípede vermelho e quebrado
me serão peças na consciência de um mundo puro e são.
Irmãos, quando o meu corpo evaporar sobre os olhos do tempo
e só uma leve brisa simbolizar minha presença nas mentes
terei ainda guardada a lembrança de nossa casa plena
e do café quente e leite em volumes misturados e o pão
 
nas manhãs de frio ou calor na antevéspera do sonho
mirarei sorrindo de cima da mangueira em festa no quintal
 
o arco-íris que cruza outras nuvens e colherei aí nova fé.

GUTENBERG COSTA LANÇA LIVRO SOBRE OS ANTIGOS CARNAVAIS


Resultado de imagem para CONVITE DE GUTENBERG COSTA PARA O LIVRO OS ANTIGOS CARNAVAIS
No principio, era só o “mela–mela” popular: foliões utilizando de tudo o que dispunham para brincarem o então chamado‘Entrudo’: cinza de carvão, goma, farinha, barro e muita água suja. Os que se atrevessem a passar pelas imediações da Igreja Matriz, no Centro Alto e redondezas da antiga Rua Grande, em Natal, corriam riscos de serem “batizados” com a mistura peculiar. Os jornais da época divulgavam as primeiras manifestações populares carnavalescas E em Natal, entre 1875 a 1900. 
Brincantes se organizaram e levaram os festejos para a alegre Rua da Palha, atual Rua Vigário Bartolomeu, ainda na Cidade Alta (1910/1920). Festeiros, boêmios, artistas e até políticos eram frequentadores. Tempos depois o carnaval ficou mais organizado e desceu para a larga e boemia Avenida Tavares de Lira, na Ribeira (1923/ 1935). O carnaval superou crises e ultrapassou os apertos políticos e econômicos e volta à Cidade Alta, na moderna Avenida Rio Branco e proximidades do seu Grande Ponto (1936/1945). Driblou violências policiais e até as severas censuras da ditadura Vargas...
Essas e outras histórias se descortinam no livro “ANTIGOS CARNAVAIS DA CIDADE DO NATAL – Volume I: de 1875 a 1945”, fruto de décadas de pesquisa do folclorista Gutenberg Costa. São quase 300 páginas, ilustradas com fotografias antigas, de personagens e agremiações envolvidas. O escritor escreveu a obra tendo como base relatos dos jornais das épocas: “Basicamente tudo o que os antiguíssimos jornais registraram sobre as folias de rua. Os seus cronistas reclamando ou elogiando os festejos momescos”, relatou Gutenberg. Além disso, a obra é rica em imagens. “O livro contém fotos inéditas a partir dos anos 1910. Registros das festas paralelas, oficiais e particulares.
Os primeiros bailes festivos no velho Teatro Carlos Gomes... o material é vasto. E este é apenas o primeiro volume.”, revelou Gutenberg, que também é organizador do Movimento Cultural Antigos Carnavais, célebre por levar milhares de foliões anualmente às ruas, no melhor estilo do passado, com banda de frevo, no chão.
O livro é publicado pela Editora 8 e tem o patrocínio cultural do Fundo de Incentivo à Cultura (FIC), da Prefeitura de Natal e recursos do próprio autor. É apresentado pelo historiador e escritor Claudio Galvão, com comentários do também historiador e escritor Claudionor Barbalho e do pesquisador e escritor Anchieta Fernandes. Arte de capa e diagramação do designer visual Marcelo Sena.
Lançamento: 28 de Setembro de 2016.
Local: Capitania das Artes (Funcarte) – Cidade Alta. Natal/RN
Horário: 18h.
Com coquetel regional e surpresas aos presentes.
Contato: Gutenberg Costa:
Fones: (84) 99427-3363 (Oi) / (84)99878-4493 (Tim).

sábado, 24 de setembro de 2016

NOTÍCIAS DA PROMOVEC



ASSOCIAÇÃO DOS PROPRIETÁRIOS, MORADORES E VERANISTAS DA PRAIA DE COTOVELO – PROMOVEC

P O R T A R I A  Nº 01/2016-P

O Presidente da DIRETORIA PROVISÓRIA da ASSOCIAÇÃO DOS PROPRIETÁRIOS, MORADORES E VERANISTAS DA PRAIA DE COTOVELO, inscrita no CNPJ sob o nº 11.982.683/0001-46, no uso das atribuições que lhe confere o artigo 21, inciso I, do Estatuto Social aprovado em 16 de julho de 2016 e considerando a necessidade de convocação do pleito eleitoral para o biênio 2017-2018,

R E S O L V E
Fica designada a Comissão Eleitoral para o fim de realizar o pleito para a escolha dos novos dirigentes da PROMOVEC, nas pessoas dos seguintes associados:

Carlos Roberto de Miranda Gomes, Presidente
Justa Maria Mota, Membro
Alzirene Nunes de Carvalho, Membro.

Cotovelo, 20 de setembro de 2016

CARLOS ALBERTO SALUSTINO DUTRA
Presidente




ASSOCIAÇÃO DOS PROPRIETÁRIOS, MORADORES E VERANISTAS DA PRAIA DE COTOVELO - PROMOVEC
CONVOCAÇÃO ELEITORAL

A COMISSÃO ELEITORAL da ASSOCIAÇÃO DOS PROPRIETÁRIOS, MORADORES E VERANISTAS DA PRAIA DE COTOVELO-PROMOVEC, inscrita no CNPJ sob o nº 11.982.683/0001-46, com foro e sede à Avenida Edgardo Medeiros, nº 2345 –Distrito do Litoral - Cotovelo, Município de Parnamirim – RN, CEP 59.161-050, designada por ato do Presidente da Diretoria Provisória, de 20/9/2016, CONVOCA todos os associados quites com suas obrigações sociais, para participarem DA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA de natureza eleitoral, a ter lugar no dia 22 de outubro deste ano, em sua sede, no horário das 8 às 17 horas, para eleição dos membros do CONSELHO DELIBERATIVO, em número de 11 (onze) titulares e 11 (onze) Suplentes e do CONSELHO FISCAL, constituído de 07 (sete) membros, sendo 05 (cinco) Titulares e 2 (dois) Suplentes da referida Entidade, para o período de 01 de janeiro de 2017 a 31 de dezembro de 2018, os quais serão eleitos por maioria absoluta dos associados aptos a votar. REGISTRO DE CHAPAS: de 01 a 15 de outubro.
 O edital com as normas editalícias completas está afixado na sede da Entidade. Com esta publicação ficam consolidados os termos do Estatuto aprovado no dia 16 de julho de 2016, cumprindo a determinação do seu artigo 48, com 05(cinco) Títulos; 11 (onze) capítulos; 03 (três) seções; 06 (seis) subseções e 48 (quarenta e oito) artigos, revogado o Estatuto anterior, de 11 de fevereiro de 1987.

Natal/RN, 20 de setembro de 2015
A Comissão Eleitoral 
Carlos Roberto de Miranda Gomes, Presidente
Justa Maria Mota, Membro
Alzirene Nunes de Carvalho, Membro.





ASSOCIAÇÃO DOS PROPRIETÁRIOS, MORADORES E VERANISTAS DA PRAIA DE COTOVELO  – PROMOVEC

NORMAS EDITALÍCIAS

Art. 1º. A eleição para os cargos dos Conselhos DELIBERATIVO e FISCAL da
ASSOCIAÇÃO DOS PROPRIETÁRIOS, MORADORES E VERANISTAS DA PRAIA DE COTOVELO – PROMOVEC, se realizará no dia 22 de outubro próximo vindouro, em sua sede da Avenida Edgardo de Medeiros, nº 2345 –Distrito do Litoral - Cotovelo, Município de Parnamirim – RN, CEP 59.161-050, no horário corrido das 8 às 17 horas, para o preenchimento dos seguintes cargos: CONSELHO DELIBERATIVO, em número de 11 (onze) titulares e 11 (onze) Suplentes e do CONSELHO FISCAL, constituído de 07 (sete) membros, sendo 05 (cinco) Titulares e 2 (dois) Suplentes da referida Entidade, para o período de 01 de janeiro de 2017 a 31 de dezembro de 2018, os quais serão eleitos por maioria absoluta dos associados aptos a votar.

Art. 2º. Será garantida a lisura do pleito eleitoral, assegurando-se condições de igualdade às chapas concorrentes, inclusive no que concerne à propaganda eleitoral, podendo, para isso, serem nomeados fiscais que atuarão nas fases da propaganda, escrutínio e apuração dos votos.

Parágrafo Único. O voto será secreto, exercido através de cédula específica e depositado na urna previamente designada para tal fim, podendo os associados não residentes na sede da Entidade, cumprir o seu dever estatuário mediante carta postada através dos Correios ou entregue à Comissão Eleitoral, até 30 (trinta) minutos antes do encerramento da votação, em envelope lacrado e colocado em urna especial, em separado, o qual será apurado após a verificação do preenchimento das condições de eleitor, adotando-se o seguinte critério:
I - O voto será colocado em um envelope especial, com o nome do eleitor e devidamente lacrado;
 II - Recebida pela Comissão Eleitoral, esta decidirá sobre sua computação, tomando as cautelas necessárias para não quebrar o sigilo do voto, colocando-o na urna comum, conforme as regras aprovadas para o respectivo pleito, aplicada, subsidiariamente, a legislação eleitoral pátria, registrando todo o procedimento na ata dos trabalhos.

Art. 3º. O prazo para o registro das chapas se dará entre os dias 01 a 15 de outubro de 2016, devendo ser entregues no endereço referido no Art. 1º até às 11 (onze) horas.

Art. 4º. O requerimento de registro de chapa, com o nome completo dos candidatos, endereçado ao Presidente da Comissão Eleitoral, deverá estar assinado por qualquer dos candidatos que a integram, com lista contendo a anuência dos demais candidatos, sendo certificada a prova de quitação dos componentes da chapa pelo Tesoureiro, correspondente até o ano de 2016.

Parágrafo único. Verificando irregularidades na documentação apresentada, a Comissão Eleitoral notificará o interessado para que promova a regularização, no prazo de 2 (dois) dias, sob pena de indeferimento do pedido.

Art. 5º. Findo o prazo para inscrições, com as eventuais diligências, a relação das chapas, com os respectivos nomes e cargos de candidatura, será publicada na imprensa oficial, para fins de conhecimento e eventual impugnação dos interessados.

Art. 6º. A impugnação às inscrições se dará no prazo de 2 (dois) dias da publicação das chapas, findo o qual se decidirá, em 2 (dois) dias, pelo deferimento ou indeferimento das inscrições.
Art. 7º. A partir da inscrição e independente de impugnação, as chapas candidatas podem divulgar seus programas, podendo a propaganda ocorrer até o dia 20 de outubro de 2016.

Art. 8º. A eventual propaganda negativa ou que contrarie as normas eleitorais brasileiras, poderá ser impugnada no prazo de 2 (dois) dias do fato, sob pena de não conhecimento da impugnação.

Art. 9º. A Comissão Eleitoral, no prazo de 2(dois) dias, decidirá a impugnação, devendo a decisão ser publicada na sede Da PROMOVEC.

Art. 10. Em caso de empate na votação, o desempate se fará em favor da pessoa cabeça de chapa com inscrição mais antiga na Instituição. Permanecendo o empate, o novo desempate se dará pela idade da pessoa cabeça de chapa.
   
Art. 11. Os eleitos serão empossados no dia 01 de janeiro de 2017, na sede da Instituição, em sessão especial realizada às 10 (dez) horas.

Parágrafo único. O local e o horário da solenidade poderão ser alterados por motivo superior, devidamente divulgado.

Art. 12. Em caso de anulação ou impossibilidade de ocorrência das eleições, por motivo de força maior, a segunda eleição será realizada em 29 (vinte e nove) de outubro de 2016, no mesmo horário e local, guardando-se a proporcionalidade dos dias do calendário dos artigos anteriores.

Art. 13. Diante do pequeno número de associados e grande quantidade de cargos, os membros da Comissão Eleitoral poderão concorrer aos cargos da eleição.

Art. 14. Os casos omissos serão resolvidos pela Comissão Eleitoral.

Art. 15. A Comissão Eleitoral será dissolvida com a posse dos eleitos.

Art. 16. As normas deste edital entram em vigor na data de sua publicação na sede da Entidade e, facultativamente, em aviso na imprensa oficial, obedecidas, subsidiariamente, a Legislação Eleitoral brasileira, em vigor.


Natal/RN, 20 de setembro de 2015

A Comissão Eleitoral

Carlos Roberto de Miranda Gomes, Presidente
Justa Maria Mota, Membro
Alzirene Nunes de Carvalho, Membro
Janice Aranha, Membro.



Viajando e aprendendo cada vez mais



 Sexta, 23 de Setembro Meus escritos por Flávio Rezende

Viajando e aprendendo cada vez mais

Tendo como gancho um congresso espírita utilizei serviços de uma agencia de turismo e de férias do trabalho, direcionei meu corpo e minha mente para breve estada em Asunción, no Paraguai.
Da mesma maneira que procedo em quase todas as viagens que realizo sozinho, utilizo o transporte comum como ônibus de linha, eventualmente um taxi ou metrô e muitas caminhadas, para ir curtindo o cotidiano dos cantos e recantos que visito, jogando olhar para as pessoas, os prédios, ruas, parques e, eventos culturais que minha situação financeira possa alcançar.
Em Asunción tive a oportunidade de ir por duas noites para um festival internacional de jazz, podendo relembrar este estilo musical tão rico e emoldurar minha presença no evento com pensamentos elevados do quanto é importante incorporar a nosso cotidiano, ritmos que possibilitam satisfação interior, como é o caso do jazz.
A lição que reforcei dentro do meu ser foi a de que a música precisa estar cada vez mais presente em vários momentos de nossa existência, ou seja, no ambiente de trabalho, nas relações familiares, nas comemorações de uma maneira geral e, em sendo uma melodia que promova o engrandecimento pessoal, agregará sublimado valor tornando tudo mais divino e maravilhoso.
No congresso espírita, apesar de ter ido muito pouco, reforcei internamente a necessidade de manter a conduta do bem, tendo ouvido de uma proeminente autoridade no assunto, relatos de devotos de Jesus que, mesmo acossados pelo perigo da crença que professavam em tempos difíceis, eram rochas na fé que seguiam e hoje exemplificam perseverança em eventos por todo o planeta, sendo considerados os pilares do universo cristão em que boa parte dos terráqueos esta inserida.
As caminhadas por ruas paraguaias revelaram muitas outras coisas. Andando por vários países, percebemos as diferenças econômicas, os costumes, a paciência, a gastronomia, com uns estando mais avançados nuns aspectos, que por sua vez complicam outros, existindo ganhos e perdas no ranking de se estar mais ou menos modernos, digamos assim.
A alta tecnologia, na medida em que nos insere num novo universo, possibilitando diversões e ferramentas uteis no trabalho comum, promove nosso isolamento, com ilhas de seres navegando por universos paralelos, mesmo que fisicamente agregados num mesmo continente.
Em países onde a tecnologia não está tão presente ainda, podemos perceber mais ajuntamentos humanos nos moldes antigos, menos luzinhas acesas e, a certa precariedade em diversos setores da vida, passa a ter certo charme, vez que a nova sociedade cibernética, também tem seu lado negativo, principalmente esse de ficarmos individualizados em meio a coletivos.
No Paraguai ainda não existem muitos carros e o trânsito flui tranquilamente. Semáforos são raros, as pessoas ainda tomam a bebida nacional em todo canto, as roupas não exibem tantas estampas estrangeiras, tudo é meio anos 80, oferta de produtos limitada, preços baixos, raros turistas, simpatia por todo lado e um lugar onde nos sentimos seguros.
As opções não são tantas e até minha cidade Natal do nordeste do Brasil creio ser mais moderna que a capital Asunción, mesmo assim, sinto que é importante o planeta ter muitos lugares ainda assim, afinal, essa vida mais ou menos que ainda se pratica na maior parte do planeta é a vida mais sentida, mais vivida, mais próxima de certa humanidade em que nos reconhecemos como seres.
No futuro vamos estar todos nivelados por uma alta tecnologia que vai nos elevar a outro patamar de existência. Isso terá um preço e ele passa pela relativização da nossa humanidade. Vamos renunciar a uma parte humana em favor de uma parte máquina.
No futuro, ao voltar a Asunción, deverei comparar os sentimentos de um humano puro caminhando por uma cidade ainda discretamente moderna, com um humano híbrido, navegando por uma metrópole digital.
Hoje sou feliz, amanha também serei?

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

ATÉ QUANDO?



CONTRASTE

Um fato paradoxal que merece registro sobre o INSTITUTO HISTÓRICO E GEOGRÁFICO DO RIO GRANDE DO NORTE: enquanto não termina a questão com o IPHAN, que interditou obras no prédio, há alguns meses (divulgado pela TN de ontem), o Presidente Ormuz, antes que seja também impedido de repaginar o Instituto, vem cuidando do jardim localizado no Largo Vicente de Lemos, que nos presentou nesta primavera com a beleza retratada nas fotos aqui publicadas.
A sociedade espera que haja a suspensão do embargo para que internamente a população volte a dispor de rico material para as pesquisas da nossa história.